Pular para o conteúdo principal

Projeto Acervo Capixaba restaura produção cinematográfica do diretor Ramon Alvarado

O projeto Acervo Capixaba – Ramon Alvarado, considerado um dos precursores do cinema produzido no Espírito Santo, resultou na produção de novas cópias digitais de sete filmes do cineasta, cinco deles restaurados a partir dos materiais existentes em película cinematográfica.

O projeto consiste em uma iniciativa de pesquisa, preservação, digitalização e difusão do cinema brasileiro e é realizado pela Pique-Bandeira Filmes, sob a coordenação de Vitor Graize e pesquisa de Luana Cabral, com apoio do Governo do Estado, por meio da Secretaria da Cultura (Secult-ES).

O cineasta Ramon Alvarado. (FOTO: Pierre Alram/Arquivo/Secult-ES) 
Realizado com recursos do Fundo de Cultura do Espírito Santo (Funcultura), da Secult, o projeto Acervo Capixaba – Ramon Alvarado foi aprovado no Edital 019/2019 – Seleção de Projetos Culturais e Concessão de Prêmio para Inventário, Conservação e Reprodução de Acervos no Estado do Espírito Santo. 

"Esse é um projeto providencial, pois era um patrimônio a ponto de se deteriorar definitivamente", disse o cineasta Ramon Alvarado. "A minha relação com o projeto foi de irrestrita colaboração, acompanhando passo a passo o seu desenvolvimento, o que muitas vezes exigiu de mim esforço rememorativo, como também elucidativo de questões cinematográficas, mas que compensou ao final, por ver levado a bom termo o trabalho. Isto sempre é gratificante!", completou.

Os filmes Cirurgia do Coração no Espírito Santo (1967), O Mastro do Bino Santo (1971), A Escola Nova (1975), Floresta da Tijuca (1980), O espaço da liberdade — Vilma Nöel (1987), Brincadeira dos Velhos Tempos? (1977) e Almas (1980), todos digitalizados pelo projeto, serão exibidos em uma sessão especial de lançamento nesta quinta-feira (31), às 19 horas, no Cine Sesc Glória, em Vitória, com entrada franca. A sessão será seguida de debate com a equipe do projeto e convidados.

Os filmes também ficarão disponíveis por 30 dias no website Acervo Capixaba, que será lançado no dia do evento. No endereço on-line, estão reunidos os filmes, ensaios, a filmografia completa do cineasta e um arquivo de fotografias, textos, correspondências, certificados e outros itens do acervo documental do artista. "O objetivo do site é exibir os filmes e contextualizar as obras e a geração de realizadores da qual Alvarado (Ramon) faz parte", destacou a pesquisadora Luana Cabral. 


Sobre Ramon Alvarado
Ramon Alvarado nasceu em Recife/PE, em 1946, e se mudou com a família para Vitória, no início da década de 1950. Ele participou ativamente do primeiro ciclo de curtas-metragens do Espírito Santo, atuando como diretor e diretor de fotografia. Em 1968, transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde construiu a maior parte de sua trajetória profissional de mais de cinco décadas no cinema.

Ramon Alvarado participou ativamente do ciclo de Cinema Amador do Espírito Santo nos anos 1960. Em 1966, Alvarado realizou Indecisão, possivelmente o primeiro curta-metragem de ficção filmado em Vitória. Infelizmente, esta é uma das suas obras atualmente consideradas desaparecidas. Neste período, dirigiu ainda O Cristo e o Cristo (1966), Cirurgia do Coração no Espírito Santo (1967) e O Pêndulo (1967); foi ainda diretor de fotografia dos curtas-metragens Palladium (Luiz Eduardo Lages, 1966), A Queda (Paulo Torre, 1966), Kaput (Paulo Torre, 1967), Alto a la Agresión (Antonio Carlos Neves, 1967) e Veia Partida (Antonio Carlos Neves, 1968), filme vencedor do prêmio de Melhor Fotografia no IV Festival de Cinema Amador JB/Mesbla, realizado no Rio de Janeiro, em 1967. Por suas contribuições, Ramon Alvarado foi homenageado no I Festival de Cinema Amador Capixaba, realizado em Vitória no ano de 1967, por iniciativa do ator Milson Henriques.

A partir do início da década de 1970, no campo do documentário, ocupou-se da cultura popular, das tradições e do patrimônio brasileiro. Obras como Floresta da Tijuca (1980), Brincadeira dos Velhos Tempos? (1977) e Almas (1980), realizadas no Rio de Janeiro, destacam-se desse período. No Espírito Santo, Ramon Alvarado voltou-se para as paisagens e manifestações culturais tradicionais do Estado, tematizadas em filmes, como O Cristo e o Cristo (1966), documentário sobre a Festa da Penha no Espírito Santo; o curta Os Votos de Frei Palácios (1980), sobre a vida do religioso fundador do Convento da Penha, em Vila Velha; e ainda O Mastro do Bino Santo (1971), documentário que acompanha a festa da puxada e fincada do mastro de São Benedito, realizada anualmente no município de Serra.

Exibido no X Festival de Brasília, em 1973, O Mastro do Bino Santo tem grande importância histórica ao retratar uma das mais importantes festas populares do Estado, num contexto de mudanças socioeconômicas e estruturais da região, onde ela é realizada. O congo, ritmo tipicamente capixaba, compõe a trilha sonora do curta-metragem. Nas imagens, os registros de importantes mestres de congo capixabas e das pessoas em procissão, cantando e dançando durante a festividade, se misturam às imagens dos trabalhadores envolvidos nas obras de urbanização e expansão da cidade, como a construção do complexo siderúrgico no Porto de Tubarão e da BR-101, rodovia que corta o município. 

Alvarado também dirigiu os curtas documentais Campanha Nacional de Escolas da Comunidade (1975), filmado na Bahia; A Escola Nova (1975), Almas (1980) e O espaço da liberdade — Vilma Nöel (1987), filmados no Rio de Janeiro.

Ramon Alvarado em registro de 2021. (FOTO: Divulgação)
A pesquisa
Segundo os realizadores do Acervo Capixaba – Ramon Alvarado, a pesquisa realizada no âmbito do projeto envolveu o contato com diversos profissionais e instituições estaduais, nacionais e internacionais, a fim de localizar materiais relacionados à obra de Ramon Alvarado, sobretudo cópias e negativos de seus filmes. Também foram levantados materiais conexos, tais como fotografias, textos e documentos de produção, que auxiliassem na contextualização da carreira e da trajetória de Alvarado como cineasta. Além dos materiais conexos digitalizados e das novas cópias digitais dos filmes, a partir da pesquisa, foi elaborada a filmografia completa do cineasta, disponível no site.

A constatação de que cópias em 16mm dos filmes Cirurgia do Coração no Espírito Santo (1967) e O Mastro do Bino Santo (1971), preservadas pelo próprio cineasta, poderiam ser os únicos materiais destes dois filmes foi determinante para o desenvolvimento do projeto.

Além da restauração de O Mastro do Bino Santo, foram produzidas novas cópias de Cirurgia do Coração no Espírito Santo (1967), digitalizado a partir do único material existente, em 16mm, preservado pelo diretor; Floresta da Tijuca (1980) e A Escola Nova (1975), digitalizados a partir dos respectivos negativos de imagem 35mm depositados na Cinemateca do MAM (RJ); e O Espaço da Liberdade - Vilma Nöel (1987), cujas partes do negativo de imagem 35mm foram preservadas pelo cineasta. Os documentários Brincadeira dos Velhos Tempos? (1977) e Almas (1980) foram digitalizados a partir de fitas betacam identificadas pelas pesquisas do projeto, diante da não localização de seus negativos originais.

Todos esses filmes estiveram parcialmente fora de circulação ao longo das últimas décadas, estando seu contato com o público restrito durante esse tempo, além das cópias em baixa qualidade, disponibilizadas pela internet e em DVDs, graças aos esforços do próprio diretor, e os registros documentais de exibições ou tão somente a memória daqueles(as) que puderam um dia os assistir. 

"Nós, do projeto Acervo Capixaba, esperamos que a difusão dessas obras, bem como sua contextualização histórica e crítica, ofereça material para que pesquisadores(as), cineastas e o público em geral , para que conheçam o trabalho deste importante realizador do cinema capixaba", pontuou Luana Cabral.

Sobre o projeto Acervo Capixaba 
Criado em 2017 como um selo da produtora e distribuidora Pique-Bandeira Filmes, o Acervo Capixaba é uma iniciativa de pesquisa, digitalização e difusão da memória audiovisual do Espírito Santo. A primeira edição do projeto digitalizou e relançou sete filmes do cineasta Orlando Bomfim, netto (1941-2021), produzidos entre 1975 e 1985. Os cinco curtas-metragens e dois médias-metragens que compõem a seleção representam uma parte importante da produção documental do cineasta mineiro radicado no Espírito Santo.

As novas cópias digitais relançadas pelo projeto foram exibidas em eventos, como o 50º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro; a 13ª CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto; o 3º Arquivo em Cartaz – Festival Internacional de Cinema de Arquivo, o 4º Festival de Cinema Ambiental e Sustentável do Espírito Santo (Cine.Ema), entre outros festivais, mostras e sessões especiais. 

Em 2018, como desdobramento do projeto, foi realizada em Vitória, no Cine Sesc Glória, a mostra "Imagens para a Liberdade – Retrospectiva Orlando Bomfim, netto", com curadoria de Maria Ines Dieuzeide e Vitor Graize. Foi publicado um catálogo especial sobre o cineasta e produzido um documentário sobre a obra do artista. Também foram promovidas sessões especiais na vila de Itaúnas e nas cidades de Conceição da Barra e Santa Teresa, no Espírito Santo, locações de alguns dos filmes.

Em maio de 2021, com curadoria de Vitor Graize, o Cinelimite programou a mostra "O mundo visto e sonhado – Uma coleção de filmes do Espírito Santo", exibindo filmes digitalizados pelo projeto e outras obras. Também lançou o documentário Ramon Alvarado, depoimento do cineasta produzido especialmente para a mostra. 

Em agosto de 2021, foi lançado o projeto "Registros Sonoros do Folclore no Espírito Santo – Acervo Guilherme Santos Neves", realizado em parceria com o Instituto Goia, que recuperou uma vasta e importante coleção sonora do folclore brasileiro. A pesquisa e o inventário foram realizados pelos pesquisadores Luana Cabral e Vitor Graize. 

Atualmente, o projeto concentra-se no lançamento da edição dedicada ao cineasta Ramon Alvarado e à pesquisa da obra de Antonio Carlos Neves, diretor da geração do cinema amador de Vitória do final dos anos 1960.


Programação: 
“Cirurgia do Coração no Espírito Santo”, de Ramon Alvarado
(16mm, 1967, cor, 7’)
Sinopse: Documentário científico que registra a primeira cirurgia de coração realizada no Espírito Santo.

“O Mastro do Bino Santo”, de Ramon Alvarado
(35mm, 1971, cor, 11’)
Sinopse: Documentário sobre a festa da puxada e fincada do mastro de São Benedito, que é realizada anualmente na cidade da Serra.

“A Escola Nova”, de Ramon Alvarado
(35mm, 1975, cor, 7’)
Sinopse: Filme sobre a reforma do ensino realizado para a Campanha Nacional de Escolas da Comunidade. Gravado no Centro Educacional Capitão Lemos Cunha, no Rio de Janeiro.

“Brincadeira dos Velhos Tempos?”, de Ramon Alvarado
(35mm, 1977, cor, 11’)
Sinopse: Apesar da Selva de Pedra, da rede de fios elétricos e de uma lei que proíbe soltar pipas no Rio de Janeiro, a brincadeira secular não desapareceu na cidade, pelo contrário, manifesta-se profusamente, como necessidade de poesia para o carioca e resistência popular à massificação.

“Floresta da Tijuca”, de Ramon Alvarado
(35mm, 1980, cor, 9’)
Sinopse: Estudo sobre a permanente ameaça à natureza. A devastação e a recuperação da Floresta da Tijuca, durante o Segundo Império.

“Almas”, de Ramon Alvarado
(35mm, 1980, cor, 5’)
Sinopse: Estudo sobre a crise da nossa sociedade, pela ótica antropológica. O culto votivo às almas, pelo acendimento de velas, às segundas-feiras, em logradouros do Rio de Janeiro.

“O espaço da liberdade – Vilma Nöel”, de Ramon Alvarado
(35mm, 1987, cor, 9’)
Sinopse: Documentário sobre a artista plástica Vilma Nöel.

Serviço
Sessão especial de lançamento do projeto "Acervo Capixaba – Ramon Alvarado"
Data e horário: 31/março (quinta-feira), às 19h
Local: Centro Cultural Sesc Glória - Cine Sesc Glória (Sala de Cinema Cariê Lindenberg) - Av. Jerônimo Monteiro, 428, Centro, Vitória
Entrada: Gratuita
Informações: (27) 3232-4750

Comentários

Mais lidas

Íris Cupertino lança a música "Pouca Roupa", com participações de Reygn, GD e VTbeats

Agenda Capixaba #61

Agenda Capixaba #66: shows, festas e eventos culturais de 21 a 27 de março