Pular para o conteúdo principal

Festa da Penha 2021: Saiba curiosidades e dados históricos sobre o evento

A 451ª edição da Festa da Penha tem início no Domingo de Páscoa (4), em Vila Velha, de forma virtual e interativa. E para já ir entrando no clima conheça algumas curiosidades e dados históricos sobre o evento e sobre o Convento da Penha.

O Convento da Penha está preparado para a Festa da Penha 2021. (FOTO: Gustavo Andrade/OMMC)
Tema da festa
O tema da Festa da Penha 2021 é "Vosso olhar a nós Volvei", em alusão ao canto tradicional da devoção Mariana e ao poder do olhar misericordioso de Nossa Senhora sobre nosso povo. A escolha se faz propícia no cenário atual, em que devemos renovar os votos de fé para que nossa padroeira interceda por nós. 

Neste "novo normal", mascarado e com distanciamento, os olhos reforçam sua missão própria de serem o "espelho da alma" e, através deles, as pessoas aprendem a sorrir, a acolher, a cumprimentar, a abraçar, a demonstrar afeto e atenção. O olhar de Nossa Senhora em seus diversos ensinamentos também estará presente nos temas escolhidos para o Oitavário durante os dias de homenagens à Padroeira.

Feriado estadual
Desde julho de 2019, o Dia de Nossa Senhora da Penha, é considerado feriado em todo o Estado do Espírito Santo, conforme aprovado na Assembleia Legislativa e sancionado pelo Governo do Estado. O feriado vai ser sempre na segunda-feira, oitavo dia posterior ao Domingo de Páscoa. Em 2021, 12 de abril marca o dia da Senhora das Alegrias e Padroeira dos capixabas.

Terceira maior festa Mariana
A Festa da Penha é uma das festas religiosas mais antigas do Brasil, a maior manifestação religiosa do Espírito Santo e a terceira maior festa mariana do país, atrás apenas da festa da Padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida, no estado de São Paulo, e a do Círio de Nazaré, em Belém, no Pará. O evento reúne cerca de 2,5 milhões de pessoas anualmente, em tempos sem pandemia, que acontece sempre em nove dias, iniciando no Domingo de Páscoa.

Nossa Senhora da Penha proclamada padroeira do ES
Nossa Senhora da Penha foi proclamada padroeira do Espírito Santo através da Bula Papal do Papa Urbano VIII em 23 de março de 1630. De acordo com a história, a Bula só foi confirmada em 26 de janeiro de 1908 após o resultado de um plebiscito realizado em todas as paróquias do Estado, na época o bispo responsável era Dom Fernando de Souza Monteiro. Por fim, a aprovação do Vaticano, após escolha dos fiéis, ocorreu em 27 de novembro de 1912, pelo Cardeal Martinelli.

Por que Oitavário?
Ao contrário da palavra novena, muito comum na liturgia, a palavra Oitavário não é muito conhecida. O oitavário acontece em vista da grande festa de Nossa Senhora das 7 Alegrias, que é celebrada na segunda-feira após a oitava da Páscoa. Na festa da Padroeira do Espírito Santo, a organização dos oito dias do Oitavário, nas edições antes da pandemia, eram divididos entre as áreas pastorais da Arquidiocese de Vitória: Benevente, Cariacica-Viana, Serra-Fundão, Serrana, Vila Velha, e Vitória.

Festa virtual e interativa
Na edição histórica de 450 anos, a Festa da Penha se reinventou. A festa ocorreu de forma virtual e interativa com o Oitavário, Missas, o programa religioso e cultural Salve Mãe das Alegrias e muitas outras atrações, devido a pandemia de Covid-19. Em todos os momentos, apresentadores, frades, convidados e equipe técnica mantiveram os cuidados sanitários. 

Durante o evento, foram mais de 1,3 milhão de interações nas páginas das redes sociais do Convento, com participações de diversas cidades do Estado, do Brasil e até de países do exterior. Cerca de 600 matérias foram veiculadas nos diversos veículos de imprensa capixabas e nacional, incluindo transmissões ao vivo. Na Festa de 2021, a programação também será no mesmo formato, visto que a pandemia tem nova crescente no País e no Estado.

Programa Salve Mãe das Alegrias
O programa Salve Mãe das Alegrias surgiu para a programação da edição virtual e interativa da Festa da Penha em 2020. O programa foi um grande sucesso em todos os quesitos. Transmitido ao vivo em todos os dias da Festa, o programa teve entrevistas, orações, cânticos e resgate da memória de edições anteriores da festa. Em 2021, a segunda "temporada"do programa, se assim podemos dizer, promete ser ainda melhor.

Hino da festa
Nas quatro últimas edições, tivemos músicas com o tema oficial das festas. Nos últimos três anos o hino foi composto pelo jovem frade estudante, Frei Lucas Moreira Almeida. Neste ano de 2021 a música do tema oficial foi lançada no dia 05 de março. Este ano ele também interpreta o hino, juntamente com Frei Paulo César Ferreira e Frei Felipe Carretta. Há ainda a participação do pai do Frei Lucas, Joel Almeida, no violão. 

Quadro de Nossa Senhora das Alegrias 
O quadro de Nossa Senhora dos Prazeres ou Alegrias foi trazido pelo Frei Pedro Palácios, e tinha em Portugal o cognome de Nossa Senhora da Penha de Cintra, por estar no alto de uma rocha. É uma pintura barroca da arte espanhola, de autor desconhecido e está pendurado na parede lateral da nave do Convento da Penha, no ‘lado do Evangelho’, onde pode ser contemplada. Foi posteriormente adornado com moldura de madeira talhada pelo artista português José Fernandes Pereira. 

Nome de Nossa Senhora da Penha
No ano de 1568, após edificação da Capela no cume do penhasco, foi colocada uma Imagem de Nossa Senhora da Penha, vinda de Portugal em 1569. Desde 1558, a devoção à Nossa Senhora era muito forte, especialmente à Nossa Senhora dos Prazeres ou das Alegrias. Os antigos portugueses a veneravam como Nossa Senhora da Penha de Cintra, por ser ela colocada no alto de uma rocha, nome que ficou sendo uma forma chamada na Penha do Espírito Santo, por referir-se a penhasco, que vem do espanhol peña, daí passando a ser Nossa Senhora da Penha, Nossa Senhora “do Penhasco”, “da Padra”.

Frei Pedro Palácios
O franciscano Pedro Palácios, fundador do Convento de Nossa Senhora da Penha, um frade espanhol, fervoroso devoto de Nossa Senhora, místico, amante da vida contemplativa, da vida isolamento em meditação, atento aos fenômenos da natureza. Encontrou em solo capixaba, desde o primeiro momento um campo fértil para seu santo projeto. 

Ajudou mesmo a carregar materiais até o alto da montanha onde foi construída a ermida. Mais tarde, a obra foi, então, completada por seus sucessores. Frei Pedro Palácios foi encontrado morto na Capelinha de São Francisco (no Campinho) no dia primeiro de maio de 1570, logo depois da primeira Festa da Penha da história. 

O Santuário
O Convento de Nossa Senhora da Penha é um dos santuários de devoção mariana mais antigos do Brasil. Localizado num penhasco de 154 metros de altitude, com vista privilegiada para as cidades de Vitória e Vila Velha, a 500 metros do mar; abrange uma área de mais de 630 mil m2, que ostenta no seu entorno imponente e preservada parte da mata atlântica. O Santuário foi fundado por Frei Pedro Palácios. 

No interior do Convento, o espaço mais expressivo é o da Igreja com sua preciosa Capela-Mor. Revestido, parcialmente com madeira em cedro, entalhada com motivos fitomorfos, executada pelo escultor português José Fernandes Pereira, nos anos de 1874 a 1879, inclusive o assoalho com trabalho de marchetaria que no ano de 1980 foi reformado.

Corredor maior do Convento
O corredor maior do Convento da Penha, até princípios de 1952, veio servindo para exposição de ex-votos e outras promessas. Durante o tempo em que foi capelão do santuário, entre 1915 e 1942, o Padre José Lidwin, abriu uma porta do lado sul, a fim de facilitar o acesso dos fiéis ao santuário. 

Serve hoje para exposição dos quadros de Benedito Calixto e de outros autores célebres. À direita, encontram-se os quadros da Via-Sacra, cujas figuras são de procedência italiana. A esquerda, a porta que dá para a capela-mor do santuário.

Sala dos Milagres
Todos os anos milhares de pessoas sobem ao Convento para agradecer por alguma graça alcançada. Muitos trazem fotografias, retratos, memórias, cartas e outras demonstrações de gratidão, cada uma no seu jeito, e depositam aqui na Sala dos Milagres a gratidão à Mãe da Penha. As histórias são as mais variadas. Algumas impossíveis nos olhares humanos da medicina ou da sociedade, mas que com a graça e a misericórdia de Deus, elas conseguiram alcançar. 

Veste e manto de Nossa Senhora
As cores predominantes na Imagem de Nossa Senhora da Penha são as mesmas da bandeira do Espírito Santo: a veste rosa, o manto azul e o menino Jesus, no colo da padroeira, vestido com roupa branca. Mas nem sempre foi assim. Por mais de quatrocentos anos a santa foi retratada com um manto azul cobrindo sua cabeça, mas a veste que cobria seu corpo era branca. O uso da cor rosa para a veste só foi adotado no final da década de 1980, apenas no Espírito Santo, para que a junção das cores reforçasse a ligação da santa com o Estado.

Comentários

Mais lidas

Agenda Capixaba #43

Agenda Capixaba #40

Agenda Capixaba #37