Pular para o conteúdo principal

Auri reflete sobre as dualidades com intenso clipe "Nó"

Após mergulhar em um processo de recriação das próprias canções - seja com um EP ao vivo ou com um EP em estilo 8-bit -, a banda Auri apresenta sua primeira faixa inédita desde 2019. Em , os músicos fazem uma reflexão sobre as dualidades da vida. 

O single ganha um clipe em preto e branco inspirado pela cultura pop recente - de Sin City e Cisne Negro, passando pela banda Royal Coda até e animação japonesa Perfect Blue. O clima noir do vídeo abre caminho para a crueza da performance da banda, ela própria paradoxal: uma letra introspectiva e riffs potentes.

Auri: banda lança primeira música desde 2019. (FOTO: Enyo Andrade)
marca o primeiro material inédito de Auri desde o single e clipe Quintal. A nova música faz parte de uma série de lançamentos que a banda vem projetando desde o início de 2020, porém teve um hiato no processo de produção com o agravamento da pandemia atual. 

Em comum, os próximos trabalhos de Auri vão trazer esse som mais denso, com arranjos mais encorpados, novas texturas de timbres e com letras que dialogam mais com questões pessoais e emocionais. 

Para dar esse novo passo, os músicos assinaram, pela primeira vez, a produção, sob comando do baixista Bernardo John. Além dele, a banda é formada por Everton Radaell (voz e guitarra), Thaysa Pizzolato (teclado e sintetizador), Danilo Galdino (guitarra e backing vocal) e Bruno Miranda (bateria). 

"A letra de faz uma reflexão ‘de dentro pra fora’ sobre o momento que a gente vive e sobre o lado ruim dos seres humanos, principalmente sobre a falta de empatia. Foca muito nos conflitos de dualidade. A mensagem da música busca mostrar que todos somos iguais, independente das diferenças (inclusive na dor), e que estamos todos no mesmo barco. Figuradamente, o nó seria algo que nos mantém como sociedade e traz a sensação de união, mas que sem empatia, sem esse olhar no outro e no diferente, esse nó se desfaz", entrega Everton.


Como um contraponto ao último clipe, Quintal, que trouxe uma paleta de cores variada, teve um roteiro linear em uma história com começo, meio e fim e personagens bem definidos, ganha um clipe que explora outras formas de narrativa e estética. 

O vocalista, Everton, assume novamente a posição de diretor no vídeo onde a dualidade surge como grande catalisador. O roteiro é menos literal e mais abstrato, com momentos que representam os opostos em busca de conciliação.

Após o álbum de estreia, Resiliência (2017), singles e os dois EPs lançados em 2020, Auri está pronta para a próxima fase da carreira. O clipe de chega ao canal de YouTube da banda, e o single, às principais plataformas de streaming.

A letra da música:
Não comece algo se você não vai até o final
Nem venha me dizer que a carne é fraca demais
Não é só sobre você

E toda escolha que se faz 
Ecoa no eterno 
E não volta atrás
Depois não venha culpar 
Se a vida ficar 
Amarga demais
 
Como pode dormir sossegado sem se preocupar
Com as mãos que lavou, com o sangue não seu

Somos todos iguais
Inclusive na dor
Mas por que não se percebe, então
Que estamos cada vez mais perto 
Do tarde demais?

E se tem uma coisa que eu sei
É que a vida é uma só
E que todo esse nó
Que nos mantém aqui
Vai desatar


Ficha técnica
Música:
Data de lançamento: 30 de abril
Gravação: Estúdio Mantra, Vitória
Produção musical: Auri e Bernardo John
Mixagem: Bernardo John, Guilherme Madeira e Signobeat
Masterização: Igor Comério
Direção, roteiro, edição e colorização: Everton Radaell
Câmeras e direção de fotografia: Pedro Henrique Faria
Atriz: Carol Pimenta
Produção: Auri e Carol Pimenta
Agradecimentos: Enyo Andrade, Anna Clara Macedo Silva, Tereza Christina Macedo, Guilherme Radaell, Daniel Junior, Melina Furlan, Gabriel Hand, DJ Bunny, Estúdio Mantra e equipe do Palácio da Cultura Sônia Cabral

Comentários

Mais lidas

Entrevista: Ariel Morena homenageia a mãe no clipe de "O Tempo Voa"

Os lançamentos da música capixaba em abril

Solidão no single "Me Encontra", de oficialSMG