Pular para o conteúdo principal

História: Convento da Penha tem relógios-armário do século XVII e dos anos 1800

O Convento da Penha, imponente monumento religioso, histórico e turístico do Espírito Santo, localizado em Vila Velha, dispensa muitas apresentações. Muita gente sabe que no local são encontradas obras de arte, peças e objetos que são verdadeiras relíquias.

E nesta matéria, vamos falar de dois itens que certamente tem muita importância histórica: os dois relógios-armário. Um é datado do século XVII e outro dos anos 1800, segundo o site do Convento da Penha.

Relógios-armário do Convento da Penha. (FOTO: Divulgação)
O mais antigo é um relógio carrilhão de madeira e metal, que não está em funcionamento e atualmente encontra-se no vão que dá acesso ao coro da capela do Convento, não estando exposto ao público. 

Tem caixa de madeira escura dividida em dois compartimentos, cada um com uma porta envidraçada. A parte superior é composta de caixa quadrada com porta em arco com vidro que abriga o mecanismo, sobreposta à parte inferior que é um pouco menor e em formato trapezoidal e possui porta envidraçada e quadra. 

Sob a caixa superior, são quatro cantoneiras com bordas curvilíneas entalhadas, com pés acantonados que integram as peças frontal e laterais da parte inferior do móvel. Presa na lateral da caixa superior, há uma manivela em metal para dar corda no mecanismo. Esse relógio teria passado por restauração em 1947, por J. R. Scharling.

Relógio-armário de manufatura alemã. (FOTO: Gustavo Andrade/OMMC)
Relógio de manufatura alemã
O relógio-armário datado dos anos 1800, de manufatura alemã, fica no corredor lateral interno da capela, que desde o início da pandemia está sem acesso dos visitantes. Trata-se de um relógio móvel de madeira escura, recortada e envernizada e bronze. Apresenta mostrador de vidro com forma arredondada e números arábicos. Porta frontal em painel envidraçado com moldura abaulada.

O pêndulo central que marca a hora possui três pesos. O relógio é dimensionado com as seguintes especificações: 1,93m de altura, 0,64m e profundidade de 0,25m. De acordo com a história, o relógio, da marca Mauthe, foi trazido da Alemanhã por volta do ano de 1800, no entanto só em 1896 foi colocado no local onde está atualmente.

De difícil manejo, ficou por muitos anos sem uso, pois não havia relojoeiro que conseguisse fazê-lo funcionar. Um profissional, chamado João Ricardo, em 1943, tomou conhecimento do fato, vindo então a Vitória com o propósito de examinar e consertar tal peça, conseguiu colocar o relógio para o pleno funcionamento. 

Anos mais tarde, quando novamente ficou sem funcionar, o relojoeiro Oswaldo Moscon também realizou uma manutenção para fazer o relógio do Convento voltar ao funcionamento.

O nome do fabricante aparece na metade superior do mostrador, enquanto na parte inferior aparece a inscrição "Made in Germany (Fabricado na Alemanha)".

Confira outras fotos dos relógios carrilhão:
Fotos: Gustavo Andrade/OMMC e Biblioteca/IBGE
* Nos dados dos registros no site do IBGE não constam informações como autoria e ano exato das fotografias


Nesta foto, Frei Alfredo Waldemar Setaro, que foi guardião do Convento na década de 1950. Por muitos anos, quando em funcionamento, este relógio foi operado por Antônio Zampieri, que foi zelador e sacristão do Convento por 42 anos.





Comentários

Mais lidas

Agenda Capixaba #56

Agenda Capixaba #48

Agenda Capixaba #44