Pular para o conteúdo principal

Mostrando os invisíveis da sociedade, Thiago Miranda apresenta "Circo Moderno"

Com o intuito de mostrar com outras perspectivas adultos e crianças que simplesmente são muitas vezes invisíveis para a sociedade no cotidiano principalmente de grandes cidades, o cantor e compositor Thiago Miranda apresenta a música e o videoclipe de Circo Moderno.

Lançado nesta sexta-feira (25), o trabalho está disponível nas plataformas digitais de áudio e no canal do artista no YouTube. Thiago destaca que a canção é dedicada "aos artistas de rua, aos malabaristas de sinal, aos esquecidos da sociedade e aos invisíveis da rotina da cidade grande". O cantor afirma que são pessoas que muitas vezes não tem muitas oportunidades e encontram nestes meios uma forma de sobreviver.

Thiago Miranda fala de pessoas que muitas vezes são invisíveis para a sociedade. (FOTO: Yhuri Kalleb)
"Crianças que estão perdendo o brilho no olhar, sem estudar, sem brincar, seja acompanhando os pais pedindo esmola, seja vendendo balas, seja fazendo acrobacias nos sinais. Esta música pretende jogar luz aos menos favorecidos e que querem e merecem um lugar ao sol. Tô falando de gente honesta que de tantos nãos a raiva, o rancor, a mágoa e a fome disparam o instinto animalesco e doentio da mente humana. Espero que a música impacte as pessoas a refletir e a fazer algo por quem precisa, da maneira que puder", diz Thiago Miranda.

Arte da capa
A arte da capa foi produzida por Letícia Miranda sobre grafite de Nilo Zack pelas ruas de Belo Horizonte/MG. Thiago Miranda chegou até o grafiteiro após ver algumas obras do artista. "Estava procurando por referências pra fazer a arte do single Circo Moderno, que conseguisse traduzir um pouco da ideia da música, ou seja, arte de rua, desigualdade social, resistência, infância perdida....Quando me deparo com essa e outras pinturas de grafite espalhados pelas ruas de Belo Horizonte", lembra.

"Fui pesquisar um pouco sobre o autor que assinava e vi que o cara, de grafiteiro virou expositor de arte em museu, tem um projeto social fantástico no bairro pobre do Taquaril, com doações de alimentos e promove mutirões para construção e reformas de casas por lá. Corri pro Instagram, mandei mensagem no direct pra ele elogiando a arte e, na cara de pau, pedi autorização pra usar uma das obras pra capa deste single que tem tanto a ver com isso tudo. O cara me respondeu no mesmo dia, me liberando o uso", conta.


A letra da música:
Eu sou um galego do norte, 
Sou caboclo do sul, 
Sou verde, sou índio, sou preto e amarelo, sou branco, sou azul

Um acrobata do circo moderno, 
Um palhaço infeliz e malvado, 
Que conhece o céu e o inferno de cor e salteado

Mas se você for, me leva?
Quando você for, me leva?
Pra onde você for, me leva?

Sou mendigo implorando esmola, logo depois do sinal fechar
disfarçando o vidro de cola que é pra fome enganar

Um moleque catando latinha,
O outro, conchinhas no mar
O quilo da vida mesquinha será quanto vale aí nesse lugar?

E se você for, me leva!
Quando você for, me leva!
Pra onde você for, me leva!


Ficha técnica
Música: Circo Moderno
Data de lançamento: 25 de fevereiro
Violões e vozes: Thiago Miranda
Guitarras: Gabriel Stutz
Percussão: Saulo Santos
Bateria: Pablo Belmiro
Baixo: Samuel Pompermayer Jr
Gravação de instrumentos: Fabiano Hirota (Estúdios Hirota)
Gravação de vozes, mixagem e masterização: Hugo Paraizo (Braza Estúdio)
Arte da capa: Letícia Miranda sobre grafite de Nilo Zack
Roteiro do clipe: Thiago Miranda
Cinegrafista: Yhuri Kalleb
Ator: Rhis Willians

Comentários

Mais lidas

Íris Cupertino lança a música "Pouca Roupa", com participações de Reygn, GD e VTbeats

Agenda Capixaba #61

Agenda Capixaba #66: shows, festas e eventos culturais de 21 a 27 de março