Pular para o conteúdo principal

Tradição: Congo e fincadas de Mastro de São Benedito na Barra do Jucu

Banda de congo Tambor Jacarenema. (FOTO: Zanete Dadalto/ABACOVV)
Em todos os anos o mês de dezembro é marcado pelas tradicionais fincadas do Mastro nas comemorações de São Benedito acompanhadas pelo som dos tambores e das casacas das bandas de congo, e estas tradições religiosas e folclóricas são uma marca histórica da Barra do Jucu, em Vila Velha.

O famoso bairro canela-verde, também conhecido pelos praticantes do surf na praia de mesmo nome do bairro, pela pentacampeã mundial de bodyboarding Neymara Carvalho, e pela banda Casaca, recebe este mês pelo menos três fincadas do Mastro de São Benedito, promovido pelos congueiros.

A primeira já aconteceu. No último dia 13, banda de congo Mestre Alcides fez a concentração no ateliê Kleber Galveas, muito conhecido na região. A fincada encantou a todos que estavam nas areias da praia da Barra do Jucu. O canal "O Congueiro" produziu um vídeo na fincada, que pode ser assistido do fim da matéria.

Leia mais | Relacionadas
Congo: tradição e cultura no Espírito Santo
Festejos a São Benedito e São Sebastião tem início com a cortada do mastro em Timbuí

No próximo fim de semana, mais duas fincadas acontecem na Barra. No sábado (26), a banda de congo Mestre Honório faz a fincada. A concentração é na casa do Mestre Daniel, a partir de 16h00. E no domingo (27) é a vez da Tambor Jacaranema realizar a fincada do Mastro de São Benedito, com concentração na Casa de Dona Dorinha, a partir de 15h00.

Banda de congo Mestre Honório faz a fincada no sábado (26), na Barra do Jucu, em Vila Velha. (FOTO: Cacá Lima)
Origem do congo capixaba 
As folclóricas Bandas de Congo do Espírito Santo, que perpetuam um ritmo inédito, herdado de índios e negros, parte integrante da cultura popular “capixaba”. Notável pela marcação rítmica dos “congos”, ou seja, tambores, e das “casacas”, um “reco-reco” de cabeça esculpida – esmeradamente, as bandas de congo são indispensáveis não só nas festas de São Benedito, santo padroeiro dos náufragos desde o século XIX, como também nos bailes e espetáculos de artistas como o antigo grupo Manimal, que lançou um novo movimento musical chamado “rockongo”, misturando o congo à música “pop” universal, tendo-se já apresentado em digressão pela Europa, inclusive Portugal, entre 1998 e 1999.

O congo é considerado por estudiosos das tradições populares do Espírito Santo, como uma dança folclórica, por ser um grupo musical de estrutura simplificada, com dançadores e um dirigente (mestre), possui coreografia própria, sem texto dramático, e outras pessoas podem ser incluídas, isto quer dizer: podem participar desta manifestação, que possui características próprias sem igual em outros estados do país.
(Trecho retirado do livro "História da Serra", de Clério José Borges)

Serviço
Fincadas do Mastro de São Benedito
Local: Barra do Jucu - Vila Velha
26/dez (sábado), às 16h00 - Banda de congo Mestre Honório (Concentração na casa do Mestre Daniel)
27/dez (domingo), às 15h00 - Banda de congo Tambor Jacaranema (Concentração na casa de Dona Dorinha)

Assista o vídeo do canal "O Congueiro" na fincada do Mastro da banda Mestre Alcides:
      

Comentários

Mais lidas

5º Festival de Música nas Escolas: votação aberta para decidir vencedores

Viradão Vitória: muita cultura e agito no Centro da capital capixaba

Destaque da cena musical capixaba, Solveris comanda show na SubTrópico

Auri e Zé Maholics mostram a força da cena autoral capixaba em Vitória