Pular para o conteúdo principal

Forró: com ajuda do ES ritmo brasileiro pode se tornar Patrimônio Imaterial Nacional

O forró raiz, mais conhecido como pé de serra, pode se tornar Patrimônio Imaterial Nacional, ganhando assim, um novo espaço de reconhecimento no Brasil. Esse ritmo que alegra multidões já está presente em nosso país desde o século 19, e foi em Pernambuco que ele começou a aparecer.

Em poucos anos, o forró conquistou muitas pessoas e cada vez mais vai surgindo novos grupos e pessoas apaixonadas por esse ritmo que alegra, envolve e diverte tanta gente.

Festival Nacional de Forró em Itaúnas. (FOTO: Divulgação/Arquivo/FENFIT)
De acordo com a informação compartilhada por Carlos Eduardo Lyra, do Fórum Estadual do Forró de Raiz, a expectativa é que em breve o forró seja considerado Patrimônio Imaterial Nacional. O assunto surgiu  na reunião da Comissão de Cultura, que ocorreu na Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales).

Lyra pediu apoio aos deputados para ajudar representantes do forró capixaba a participarem de evento em João Pessoa/PB, onde haverá encontro para tratar do assunto. Segundo ele, é importante que os forrozeiros capixabas participem do evento, pois além do Nordeste, só quatro entes federativos, entre eles o Espírito Santo, são detentores de matrizes tradicionais do forró de raiz.

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em entrevista à CNN e afirmou que o processo já está na fase final de tramitação. 

"No dia 05 de novembro foi publicado o Aviso de tramitação do processo no Diário Oficial da União e está aberto o período de 30 para manifestações da sociedade civil sobre a matéria. Na sequência, o pedido de Registro das Matrizes Tradicionais do Forró será apreciado pelo Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural, última instância decisória dos pedidos de Registro do Patrimônio Cultural do Brasil", explicou.

Itaúnas 
Quem conhece Itaúnas sabe como é o ritmo da vila de Conceição da Barra. Lá tudo envolve o forró, e foi através dele que a cidade se tornou tão conhecida. O sucesso do forró em Itaúnas se deu a partir dos anos 80, mas o local já havia tido manifestações anteriores com o Forró de Sapezeiro, brincadeira feita há muitas décadas nos ensaios gerais de Ticumbi.

Em 2001, a criação do Festival Nacional Forró de Itaúnas (FENFIT), consolida a vila não só como espaço de revelação de novos grupos, mas também como ponto de apresentação das principais bandas do forró pé de serra, tanto da nova geração - Falamansa (SP), Rastapé (SP) e Trio Virgulino (SP), por exemplo - como com a reapresentação de grupos antigos e tradicionais como Trio Juazeiro (SP), Trio Nordestino (BA), e Os 3 do Nordeste (PB).

Entre os capixabas que se apresentaram no FENFIT, se destacam nomes a exemplo de MafuáForrófiaTrio MaracáBárbara Greco, DJ Fabrício BravimTrio Rocha o Nó, Cateretê, Trio Clandestino e Forró Bemtivi.

Por toda a vila você encontra o ritmo embalando o movimento da cidade, e não tem uma pessoa que consiga ficar parado quando o forró pé de serra começa. Todos os anos, Itaúnas recebe visitantes de todo Brasil e do mundo e, a esperança deste ano é que muitas pessoas cheguem na vila para passar a virada de ano, que inclusive, já está com diversas atrações e eventos confirmados. 

Se você ainda não conhece a vila de Itaúnas, pode colocá-la como um dos destinos capixabas que você precisa conhecer, afinal, dizem por aí que quem conhece a vila de Itaúnas se apaixona de primeira e sempre quer voltar!

Comentários

Mais lidas

Agenda Capixaba #48

Agenda Capixaba #47

Agenda Capixaba #46