Pular para o conteúdo principal

Com o álbum "Selva", Fabriccio ressignifica sua carreira

O cantor, compositor e multi-instrumentista capixaba Fabriccio acaba de lançar o álbum Selva através da Zeferina Produções. 

A obra traz releituras do extinto disco Jungle (2017), além das faixas bônus Me Abraça, com participação da Tuyo (PR) e já apresentada para o público no dia 14 de julho, e a inédita Teu Pretim Remix, com participação de Drik Barbosa (SP) e produção de Rafa Dias, o RDD (BA). E ainda conta com Tássia Reis (SP), em Preta.

O cantor Fabriccio lança o álbum Selva. (FOTO: Camila Tuon)
"Depois de um processo de entendimento e resgate pelo meu eu, a melhor definição de Selva em relação ao álbum é sobre essa sensação de ambiente hostil em todos os contextos, para além daquela noção de 'selva de pedra' e 'selva' em seu literal. Estar num ecossistema altamente hostil em que minha presença ofende, ameaça,  intimida e torna muitas outras experiências, que do dia-a-dia são muito mais complexas e dependendo do contexto, perigosas", desabafa Fabriccio.

Ele se refere a um período conturbado de sua carreira que resultou no encerramento do ciclo de Jungle, seu álbum de estreia. O disco hoje está extinto, em comum acordo com a antiga gravadora. Deixar morrer para renascer, ressignificando sua vida e obra. Novas leituras para um artista que ressurge em um ambiente que já não o assusta mais.

As faixas
Para não deixar os fãs órfãos e se empoderar de sua própria história, todas as canções estão de volta. Mais amadurecidas. Ressignificadas. Teu Pretim abre Selva falando sobre afeto sob a fusão de funk americano com ritmos brasileiros à la Black Rio, Farofa Carioca e Djavan.

Amor e Som vem em seguida, como um mantra pessoal sobre a alegria de poder fazer música. O Poder do Machado de Xangô é inspirada no documentário de Pierre Verger e conta a história de Balbino, um baiano que sonha em ir para a África conhecer os cultos originais de seus ancestrais.


A quarta faixa é Foge Comigo que, como o nome sugere, é um convite para ir para outro lugar. Dia de Ver o Meu Bem é sobre arrumar um tempo para encontrar quem faz o tempo parar. Em seguida vem Bossa Velha, canção que Fabríccio ganhou de presente de Thais Uchôa. 

Orfeu é uma homenagem ao filme Orfeu Negro, de Marcel Camus. Preta tem participação de Tássia Reis e é uma declaração de amor. Beira Mar é a primeira música que o artista escreveu na vida e é uma homenagem à Avenida Beira Mar, em Vitória, sua cidade natal. 

Sorte das Marés fala sobre despedidas e a falta de controle que temos da vida. O Negro Quando Canta é uma saudação a todas as pessoas pretas que sabem a vivência da pele que habitam e que muitas vezes não foram reconhecidas como mereciam. 


Aonde o Sol se Esconde fala sobre preservar a força dentro de si, mesmo quando o mundo não permite por causa da sua cor da pele. SP conta sobre o caos que é a percepção de quem acabou de se mudar para São Paulo. 

Me Abraça, com participação da Tuyo, é uma canção sobre acolhimento e respeito ao tempo. E, fechando o álbum, Teu Pretim Remix. Com produção de Rafa Dias e participação de Drik Barbosa, é um presente para quem já gosta do hit do artista.

Como multi-instrumentista, Fabríccio assina a produção musical e composições presentes nas 15 faixas. Exceto o remix Teu Pretim, com participação de Drik Barbosa, produção de Rafa Dias e o guitarrista Bill Saramiolo. A mixagem e a masterização são de Jone BL.

Ficha técnica
Álbum: Selva
Data de lançamento: 18 de agosto
Faixas: 15
Produção musical: Fabriccio, Rafa Dias e Bill Saramiolo
Mixagem e masterização: Jone BL
Participações: Tássia Reis, Tuyo e Drik Barbosa
Arte de capa: Pegge
Direção de arte e criativa: CeGê
Foto: Camila Tuon
Styling: Gabriela de Paula
Beleza: Carolina Mel
Produtora: Zeferina Produções

Comentários

Mais lidas

oficialSMG, Matheus Nascimento e Kabeh lançam single "Folha de Papel"

Agenda Capixaba #39

Paradoxos da alma humana em "Ciclos", o primeiro single de Novelo