Pular para o conteúdo principal

TBT: o início do rock no ES e a história da banda Os Mamíferos, nas décadas de 60 e 70

Marcada pela contracultura no Espírito Santo, a banda Os Mamíferos foi o primeiro grande grupo de rock capixaba, num curto período de atividade, de 1966 a 1971. Construíram de fato uma produção autoral com letras poéticas e provocativas, visual ousado e uma base sonora ampla, com pegadas de blues, rock, jazz e boleros.

A banda Os Mamíferos no II Festival Capixaba de MPB, em 1969. (FOTO: Milson Henriques)
A sonoridade de Afonso Abreu (baixo), Mário Ruy (guitarra) e Marco Antônio Grijó (bateria), trio que iniciou a banda, era explosiva, vanguardista e inovadora, super alinhados com o que era produzido mundo afora na época. 

A banda Os Mamíferos é lembrada pela performance psicodélica, os rostos pintados, maquiagem pesada e a atuação insana e performática de um cantor andrógino: Aprígio Lyrio, que faleceu em 1983. Arlindo Castro também contribuiu e muito para o grupo, sendo um dos compositores, também já falecido.

Rogério Coimbra e Sérgio Régis, outros dois compositores muito ativos do núcleo, continuam na ativa. Afonso e Grijó seguiram carreira na música e Mario Ruy, embora tenha seguido outras tarefas profissionalmente, também não deixou de compor e tocar.

Em 1969, Os Mamíferos se apresentaram no II Festival Capixaba de Música Popular, organizado por Milson Henriques. Eles fizeram um happening no auditório do Carmo, onde foram disputadas as eliminatórias, com Aprígio Lyrio vestindo uma mortalha e interpretando Cosmorama Total, de Chico Lessa e Ronaldo Alves. Afonso Abreu (baixo), Mário Ruy (guitarra), Arlindo Castro e Jack Palance (performances) também vestiam fantasias e eles mostraram total irreverência em relação ao júri e à plateia durante apresentação.

O fim da banda se deu no lendário Festival de Guarapari, em 1971, que ficou conhecido como Guarapastock, na vibe do lendário Woodstock, mas essa história fica para outra matéria no OMMC. Os Mamíferos revelam sua a versão sobre o festival que culminou numa fratura que levou ao seu término antes que pudessem alcançar voos maiores.

Memórias da banda
O músico Murilo Abreu, filho de Afonso Abreu, após receber o convite para ser curador musical de um evento na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), chamado 70's, criou em 2005 o projeto Aurora Gordon, que apresenta memórias da banda Os Mamíferos e da contracultura do Estado.

O Aurora Gordon é um projeto multimídia que envolve a produção de discos, shows, livros e filmes.

Em 2016 a banda completou 50 anos e, entre as homenagens, foi lançado o livro biográfico Os Mamíferos - crônica biográfica de uma banda insular, escrito por Francisco Grijó. E no dia 5 de dezembro de 2019, foi lançado Diante dos Meus Olhos, documentário de André Félix, que marca o reencontro do trio quase 50 anos depois.

Confira registros que marcam as memórias da banda:






Comentários

Mais lidas

Artistas e amigos lamentam morte do produtor Rike Soares

Ao vivo: Live Set Pedra Azul, com Jess

Assista: recentes lançamentos da música capixaba