Pular para o conteúdo principal

TBT: Urublues e o primeiro CD de uma banda capixaba em 1992

O TBT desta semana resgata uma parte da história e pioneirismo do Urublues. A banda surgiu em 1988, durante uma brincadeira nas dependências da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), mais especificamente em uma sala do Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas (CCJE).

Em 1992, o grupo formado por Cauby Figueiredo, Getúlio Neves, Rodrigo e Vagner Simonassi, foi pioneiro na gravação de um CD no Espírito Santo, quando o mais comum no mercado ainda era o LP, com o trabalho intitulado Urubues.

Apresentação da banda Urublues. (FOTO: Reprodução/Portal Bandas Capixabas)
"Na época, o pessoal ouvia muito heavy metal, o movimento era forte, as bandas de rock tupiniquim e de lambada faziam muito sucesso. Eram os som que mais afetavam a galera. Entramos na contramão de tudo isso. Na banda, todos gostavam de blues e resolvemos investir. Sabíamos que podíamos conquistar um público fazendo o nosso blues", contou Cauby, em 2008, numa entrevista ao portal Deadline.

O primeiro CD do Urublues foi produzido após ter o projeto aprovado pela Lei Rubem Braga, o que, inclusive, foi recebido com surpresa pela banda, conforme relatou Cauby à reportagem de A Gazeta, numa matéria publicada no dia 5 de maio de 1993.

Só a partir daí começou-se a produção musical. Paralelamente, da produção executiva desincumbiam-se os produtores executivos Juvenal Carneiro de Souza e Vera Lúcia da Silva, cujo trabalho acabou viabilizando o disco mediante o apoio do Banco do Brasil, do Banco do Estado da Bahia e da Fundação Ceciliano Abel de Almeida.

O CD Urublues consumiu 72 horas, entre gravação e mixagem, no Studio Scalla, então em Jardim América, Cariacica. 

São nove canções sendo Urublues (Cauby, Zoidinho, Vito, Ro); Flores sob o Mal (Alexandre Lima, Jeder Janotti); Baby Blues (Getúlio Neves); No Berço dos Allman (Vagner Simonassi); Chegou a Hora (Cauby); Momentos (Vagner Simonassi); Desculpe Baby (Vaner Simonassi, Cauby, Getúlio Neves); Transplante (Cauby); e Festa no Céu (Alexandre Lima, Carlos Papel).

Engraçado é que o tempo inicialmente contratado foi estourado em algumas horas, mas o próprio pessoal do estúdio, com Armando Sinkovitz (Porão 22) e Paulinho (Moxuara) à frente, engajaram-se no projeto e estavam, também eles, ansiosos pelo resultado.


Participações
O disco, na época, foi uma conquista dos músicos de Vitória, cuja cena musical efervescia de maneira especial naquele momento. Por isto vários amigos da banda foram chamados a fazer participações especiais, o que muito valorizou o produto final.

Participaram Alexandre Lima, no sax; César Távora, na gaita; Evandro e Saulo Simonassi, na guitarra; Léo, no baixo; Mário B., na bateria; Kátia Brinco, no vocal; e Chico Jr, na programação eletrônica - na música Festa no Céu, gravada com bateria eletrônica.

A prensagem do CD foi feita pela Sony Music no Rio de Janeiro/RJ, e a capa se fez sobre um trabalho do artista plástico Chacal, e informações da época estimam que a tiragem foi de mil exemplares.


A banda
O Urublues tornou-se a mais antiga do Estado ainda em atividade em 2008, ao completar 20 anos e foi, também, o primeiro grupo musical do Espírito Santo a eleger o blues como matéria prima de seu repertório, o que lhe conferiu o título de "Pai do blues capixaba".

Em 2018, se reuniram para o show de 30 anos, no palco do Beer Blues Festival, realizado no Shopping Boulevard Vila Velha, chegando a quase mil apresentações em três décadas de história.

O início da banda ocorreu em 1988 na Ufes. "Eu fazia jornalismo; Wagner, administração; Getúlio, direito; e Rodrigo, odontologia. Nos juntamos para participar do Festival de Alegre de 1988. Ainda não tínhamos nome, pegamos um poema de Adelino Pires chamado Urublues, fizemos a música, e tocamos no festival", lembrou Cauby em 2008, ao Deadline.

As realizações da banda traduzem sua importância para a cena. Eles já dividiram palco com Barão Vermelho (RJ), Lulu Santos (RJ), Tribo de Jah (MA) e Celso Blues Boy (SC), entre outros nomes.

Além disso, o Urublues obteve uma conquista que até hoje mantém-se inédita: foi a primeira e única banda capixaba a participar do tradicional Festival de Inverno de Ouro Preto/MG, o que aconteceu em 1995. Em 2002, lançaram o álbum Fluído, com 10 faixas.


Ficha técnica
CD: Urublues
Faixas: 9
Ano de lançamento: 1992
Exemplares: 1 mil
Produção executiva: Juvenal Carneiro de Souza e Vera Lúcia da Silva
Estúdio: Studio Scalla
Produção de estúdio: Armando Sinkovitz e Paulinho
Arte de capa: Chacal
Selo: Not On Label
Prensagem e distribuição: Sony Music Entertainment Brasil






Com informações dos portais Bandas Capixabas, Deadline e A Gazeta, e site Discogs

Comentários

Mais lidas

Agenda Capixaba #43

Agenda Capixaba #40

Agenda Capixaba #37