Pular para o conteúdo principal

Saudades deles? Cartões telefônicos detalham história, turismo e cultura do ES e do Brasil

Que os saudosos cartões telefônicos trazem muitas lembranças daquelas ligações para familiares distantes, por exemplo, não há como negar. Mas hoje vamos lembrar que além de servirem para realizar chamadas, os cartões trazem em suas bonitas estampas informações das mais diversas, além de serem colecionáveis.

Os cartões telefônicos apresentam pontos turísticos e detalham cultura e história local. (FOTO: Gustavo Andrade/OMMC)
Os cartões de orelhão apresentam informações e detalham história, turismo e cultura dos Estados e do Brasil, e muitos com séries de forma regionalizada. 

No Espírito Santo, por exemplo, as empresas Telest, Sistema Telebrás, Telemar e Oi, venderam muitos exemplares de cartões com estampas de locais como o Convento da Penha, o Parque Estadual de Pedra Azul, a Ilha de Trindade, os tapetes de Corpus Christi em Domingos Martins, e diversas praias do litoral capixaba.

A Telemar, por exemplo, chegou a apresentar um série chamada "Praias do Espírito Santo", com cartões de praias a exemplo de Itaúnas (Conceição da Barra), Coqueiral de Aracruz (Aracruz), Praia Grande (Fundão) e Jacaraípe e Manguinhos (ambas em Serra).

Os cartões são colecionáveis e existem até exposições. (FOTO: Gustavo Andrade/OMMC)
Outras séries da empresa que foram identificadas são "Filhotes do Espírito Santo", "Três Beija-flores do ES" e "Pontos turísticos do Espírito Santo". Nacionalmente, outras séries da Telemar foram "Bandeiras dos Estados Brasileiros" e "Ditados Populares".

Eventos e datas comemorativas
Além disso, as empresas utilizavam os cartões, seja de 20, 30, 40 ou 60 créditos, para lembrar de grandes eventos, como Olímpiadas, Copa do Mundo e festas juninas, e também datas comemorativas diversas, que emplacavam belas estampas.

Os cartões no Brasil
As ruas brasileiras começaram a receber os primeiros telefones públicos, popularmente conhecidos como orelhões, em 1972. Duas décadas depois de muitas ligações completadas com fichas, foi lançado o cartão telefônico. 

Cartão da Telemar faz parte da série "Praias do Espírito Santo". (FOTO: Gustavo Andrade/OMMC)
A invenção do engenheiro brasileiro Nelson Guilherme Bardini utilizava a tecnologia de indução e a leitura dos créditos disponíveis era feita por meio de eletricidade. 

Hoje em dia, os cartões estão praticamente aposentados e orelhões quase não são vistos mais nas calçadas. Com isso, os cartões se transformaram em artigos de coleção, com exemplares tão raros quanto as moedas e selos de colecionadores.

Os telecartofilistas mantém o hábito de reunir e organizar cartões telefônicos e realizam inclusive exposições. Alguns cartões telefônicos raros já adquiriram um valor inimaginável, sendo negociados por milhares de reais, e são artigos disputados por colecionadores de todo o Brasil e do mundo.

Os registros apresentados nesta matéria integram a coleção deste que vos escreve.






Comentários

Mais lidas

Manoela Ferrari surpreende público em palestra na Flic

Criatividade e inovação: Andressa Pinna lança música com filtro no Instagram

"Tudo Por Nós Dois": o novo som da Mano Jack