Pular para o conteúdo principal

Rap solidário abre o Mês da Consciência Negra com cultura e solidariedade

Junte solidariedade, música, artes plásticas, literatura, periferia e televisão: está formado o Rap Solidário. Realizado numa parceria entre as Secretarias da Cultura (Secult) e de Direitos Humanos (Sedh), Instituto das Das Pretas e a Vale, o evento abre o Mês da Consciência Negra, neste domingo (1º), das 14h às 19h, pelas redes sociais, no formato de live.

O grupo de rap Melanina MCs é uma das atrações do evento. (FOTO: Divulgação)
O objetivo do evento é arrecadar doações para o Programa ES Solidário, do Governo do Estado, e minimizar os impactos provocados pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19), ajudando quem mais precisa com as apresentações de DJ Miria, Budah, Feijó, Eric Jack, Melanina MCs, Fabriccio, Dudu MC e BK.

A live será transmitida pela internet nos canais oficiais da Secult e do Instituto Das Pretas. Na TV aberta e a cabo, a live será transmitida pela TVE-ES, nos canais: 2.1 (aberta), 15 (Net) e 05 (RCA). Além de música, as artes plásticas e a literatura estarão representadas por batalha de slam e pintura ao vivo. A artista plástica Kika Carvalho vai produzir peças exclusivas para o evento, e reproduções numeradas serão vendidas para arrecadar doações para o ES Solidário.

"O ES Solidário ainda precisa de doações, mesmo com a desaceleração da pandemia, e a intenção do evento é levantar doações para os territórios do Programa Estado Presente em Defesa da Vida. Além disso, o rap tem levado a cultura do Espírito Santo para muitos lugares no Brasil e no mundo. Uma cultura que é ligada aos territórios que serão beneficiados, e que merece nossa atenção", avalia o secretário de Estado da Cultura, Fabricio Noronha.

A produtora Priscila Gama, do Instituto Das Pretas, explica que a curadoria do evento foi feita de maneira orgânica, a partir de ideias e sugestões coletivas, trazendo artistas reconhecidos por seus trabalhos. "Artistas que estão dialogando e que estão próximos do nosso propósito: multiplicar a potência a partir da potência da arte e cultura periférica", explica.

Solidariedade
O objetivo da ação é arrecadar doações em dinheiro, serviços, cestas básicas, além de kits de limpeza e de higiene pessoal para ajudar as pessoas que estão enfrentando dificuldades por conta do novo coronavírus (Covid-19), em especial artistas circenses, técnicos das artes e comunidades tradicionais, como as indígenas e quilombola.

Para Fabricio Noronha, a ação tem o potencial de impactar positivamente o setor cultural como um todo. "Contamos com a participação e a solidariedade de todos para que esta ação se multiplique e nossos artistas mais vulneráveis recebam mais ajudas. O setor cultural é um dos mais impactados pela pandemia, afetando muito nossos fazedores. Essa ação faz parte de um conjunto de ações e se soma a essa corrente de enfrentamento a esse momento tão difícil", comenta o secretário.

Serviço
Live - Rap Solidário
Data: 01/nov (domingo), às 14h
Transmissão: Redes sociais da Secult e do Instituto Das Pretas; e TV Educativa (canais 2.1 aberto, 15 na Net e 05 no RCA)

Comentários

Mais lidas

OMMC Entrevista: Pimenta Banguela

Congo é sinônimo tradição e cultura no Espírito Santo

Com canções inéditas, My Magical Glowing Lens se apresenta no canal do Sesc Brasil