Pular para o conteúdo principal

Orquestra Brasileira de Cantores Cegos realiza apresentação única no Teatro da Ufes

Mais uma vez, a Orquestra Brasileira de Cantores Cegos traz ao palco um espetáculo de música e inclusão social! Esta quarta-feira (5), marca a volta das atividades do projeto cultural que contempla a diversidade da tradição oral de vários cantos do País.

A apresentação terá entrada gratuita e será realizada às 19h30 no Teatro Universitário da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), em Vitória.

Apresentação da Orquestra Brasileira de Cantores Cegos. (FOTO: Cia Poéticas da Cena Contemporânea)
O repertório é o mesmo da primeira temporada, realizada em novembro do ano passado no Teatro Sesc Glória.

Após o sucesso de público, os 16 cantores cegos voltam a interpretar canções que representam comunidades quilombolas e indígenas, culturas do boi, bata do feijão, colheitas da cana-de-açúcar e do café e o congo do Espírito Santo.

As atividades da Orquestra Brasileira de Cantores Cegos em 2024 têm o patrocínio da Rede Itaú por meio da Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet), e a realização do Ministério da Cultura - Governo Federal e da Associação Sociedade Cultura e Arte (SOCA) em parceria com a Cia Poéticas da Cena Contemporânea.

Os interessados em acompanhar as novidades sobre o projeto, bem como a rotina dos ensaios e as datas das apresentações, podem seguir o trabalho nas redes sociais (Instagram: @orquestra.br.decantorescegos / YouTube: @OrquestraBrdeCantoresCegos).


Pesquisa e experimentação
Com André Stefson na iluminação e Antonio Apolinário nos figurinos, a diretora do espetáculo Rejane Arruda imprime em cena as marcas de uma linguagem experimental, trabalhando a interface entre as Artes Cênicas e o Canto Coral.

Os arranjos de Tarita de Souza para voz, piano e percussão corporal trazem a marca do hibridismo entre popular e erudito típico de uma tradição instrumental brasileira representada por nomes como Guerra Peixe e Villa Lobos.

O maestro Thomas Davison, aceitando o desafio de reger pessoas que não enxergam as suas mãos, utiliza-se de estalos de dedos, palmas, batidas dos pés no chão e movimentos que lembram um bailarino brincante, contribuindo para a estética do movimento que o espetáculo apresenta.

A Orquestra Brasileira de Cantores Cegos conta também com os atores da Cia Poéticas da Cena Contemporânea que, dividindo o palco com os cantores cegos, auxiliam em seus deslocamentos, imprimindo performatividade e dramaticidade nas cenas.

A orquestra durante o espetáculo. (FOTO: Cia Poéticas da Cena Contemporânea)
Repertório
O repertório é resultado do trabalho de pesquisa realizado pela artista Renata Mattar e formado por canções populares de domínio público, transmitidas de geração em geração, utilizadas por comunidades diversas para acompanhar atividades de trabalho, ninar e festejos. Ao todo são 20 canções organizadas em 15 arranjos para voz, piano e percussão corporal.

Os cantores cegos são arautos de cantigas garimpadas em diversos estados, de Norte ao Sul do país, passando por ritmos e culturas diferentes, entre eles, o congo do Espírito Santo, o Coco de Tebei de Pernambuco e a Bata do Feijão do Maranhão.

Estão também representados a comunidade quilombola Kalunga de Cavalcante (GO), o povo Mehinako do Alto Xingu (MT), os Guaranis da aldeia Marake'nã residentes do Rio de Janeiro, e territórios de Norte a Sul do país como Angicos (RN) e Santo Antônio da Patrulha (RS); passando por Serra Preta (BA), Vale do Jequitinhonha (MG) e Arapiraca (AL).

As 16 vozes da Orquestra Brasileira de Cantores Cegos se juntaram em meados de 2023, quando começaram os ensaios para a primeira apresentação, realizada em novembro. A primeira temporada foi realizada por meio da Lei de Incentivo à Cultura Capixaba e apoio da Secretaria da Cultura do Espírito Santo (Secult-ES).

O grupo foi selecionado em audição acompanhada pelo maestro Thomas Davison. Logo depois, teve início a etapa dos ensaios com o repertório escolhido, dirigida por Rejane Arruda.

A temporada de 2024 começa com esse mesmo espetáculo, que foi sucesso de público com três sessões lotadas.

Ainda este ano, a Orquestra Brasileira de Cantores Cegos começa a preparar um novo espetáculo, com um novo repertório, que ainda será divulgado e tem apresentações previstas para o segundo semestre de 2024.

Serviço
Apresentação da Orquestra Brasileira de Cantores Cegos
Data e horário: 5/jun (quarta-feira), às 19h30
Local: Teatro Universitário da Universidade Federal do Espírito Santo - Av. Fernando Ferrari, 514, Campus Universitário de Goiabeiras, Vitória
Entrada: Gratuita (retirada de ingressos gratuitos uma hora antes do espetáculo)

Comentários

Mais lidas

Arraiá do Shopping Montserrat terá quatro dias de festa com shows gratuitos e aulas de forró

Santa Teresa se prepara para um 2024 histórico: 150 anos de imigração italiana no Brasil

Formemus 2024 abre chamamento para Pitching Musical