Pular para o conteúdo principal

#BlackoutTuesday: artistas capixabas se juntam em campanha de reflexão sobre racismo

Diversos artistas do Espírito Santo aderiram à hashtag #BlackoutTuesday em suas redes sociais nesta terça-feira (2). A campanha surge em meio a protestos contra o assassinato de George Floyd, homem negro morto pela polícia nos Estados Unidos.

Capixabas declararam apoio a campanha contra o racismo. (FOTO: Reprodução)
Entre os que postaram uma imagem preta e a hashtag estão cantores a exemplo de Morenna, André Prando, Mariana Coelho, VK Mac, Michele Freire, Sandrera, Camila Gabriel, Afari, Gabriela Brown, Heitor, Akilla, Flavia Mendonça, Budah, Barol Beats, Mary Jane, Alex Emissário, Magro, Dennise Pontes, Amaro Lima, Taynara Mendonça, Fred Mac, EMID, Vitor Locatelli e Annê.

Os perfis das bandas My Magical Glowing Lens, A Transe, Like a Boss, Dozz, Moreati e Regional da Nair também fizeram publicações. 

Além disso participaram da homenagem, o Secretário de Cultura do Espírito Santo, Fabricio Noronha, as DJs Lowez e Adria Beloti, a produtora e agitora cultural Stael Magesck, a diretora de arte Gabi Christo, os poetas Luiz Brumana e Thayná Cruz, a escritora Bruna Ceotto, e o ator e diretor de teatro José Celso Cavalieri.

O mundo se uniu
O dia 2 de junho de 2020 ficará marcada para história cultural como dia do blackout. O Blackout tuesday, como ficou conhecido o movimento, é uma iniciativa em consenso em que gravadoras fecharam as portas, rádios pararam transmissões e artistas se silenciaram da internet.

Gravadoras, como Columbia Records, Sony Music, Universal e Warner Music, anunciaram que não teriam expediente em apoio à campanha e ao movimento Black Live Matters. Em uma homenagem mais direcionada, a Warner Music colocou fotos de famosos casos de pessoas negras que perderam a vida para brutalidade policial.

O Spotify trocou as capas das principais playlists da plataforma para versões feitas apenas em preto e tons de cinza escuro, e também fará uma pausa de 8 minutos e 46 segundos nas transmissões musicais, em referência ao tempo que o policial ficou ajoelhado no pescoço de George Floyd. Além disso, lançou uma playlist chamada Black Lives Matter com artistas e músicas importantes para o movimento negro. O Deezer enviou a todos os usuários uma nota de apoio ao Blackout tuesday e ao antirracismo.

Partindo da indústria fonográfica e seguindo para outros setores artísticos e da sociedade, o BlackOut Tuesday começou com a hashtag #showmustbepaused (O show precisa parar, em tradução) no intuito dos artistas tirarem de si os holofotes e virarem para a comunidade que tem sofrido com racismo estrutural.

Comentários

Mais lidas

OMMC Entrevista: Pimenta Banguela

Congo é sinônimo tradição e cultura no Espírito Santo

Destaques OMMC #74