Pular para o conteúdo principal

Determinação para viver a música


A cantora Andressa é ousada e batalhadora em busca de seus objetivos. Com o amadurecimento após se tornar mãe, concilia trabalhos, participou de um programa na televisão e pôde conhecer sua ídola Anitta


Sentada num dos bancos de uma pequena praça localizada na
avenida Belo Horizonte, no bairro Nova Carapina I, município de Serra. Foi dessa forma que Andressa Coelho da Silva, nascida em 26 de novembro de 1994 e hoje aos 23 anos, relembrou a infância e a adolescência, com as alegrias, mas também com as dificuldades. E não foi por acaso a escolha da praça...


A determinada Andressa na praça em Nova Carapina I, em Serra, bairro onde vive até hoje. (FOTO: Gustavo Andrade/OMMC)
Andressa conta que ter enfrentado empecilhos na infância, mas não ter chegado ao extremo, por exemplo, de não ter alimentos em casa. Os pais, Sandra Coelho e Geraldo Silva trabalhavam fora para o sustento da família. “Nunca passei fome, mas enfrentei dificuldades. Foi uma infância até tranquila. Fui criada mais pela minha avó, pois meus pais saiam para trabalhar. Brincava como uma criança qualquer e ia para a rua jogar bola”, revela a cantora.

Quando tinha seis anos, a irmã Alessandra Silva veio ao mundo e a deixou com ciúmes, mas foi nesse período que surgiu uma outra companhia de grande importância para a jovem, a música. “Nasceu minha irmã e lembro que fiquei morrendo de ciúmes, mas depois passou. Foi nessa época que comecei a cantar. Meu pai canta, me levava para os lugares para cantar e eu falava: ‘só vou cantar se você me der um pirulito’. E eu ganhava”, relembra Andressa, aos risos.

Já na adolescência, não se deixou levar por más influências, mesmo em contato com amigos envolvidos em “problemas”. Ela defende que não é possível dizer que foi influenciado. “A partir de certa idade, cada um sabe com o que está se envolvendo. E não me afastei de amigos por conta dos problemas. Mas dizer que foi influenciado por outras pessoas não existe. Cada um faz suas escolhas e vai ter as consequências daquilo”.

Ainda nesse período, a música entrou de vez na vida. Andressa se apaixonou pelo funk melody ao conhecer o trabalho da carioca Anitta, em quem se inspira minunciosamente. “Meu pai toca violão e canta música sertaneja. Eu sempre cantava sertanejo com ele. Na minha adolescência, comecei a curtir as festas. Foi onde comecei a gostar do funk. A partir daí conheci o trabalho da Anitta, ouvindo a primeira música dela Eu Vou Ficar. Escutei, gostei e me apaixonei por ela desde o primeiro clipe. Fui seguindo a Anitta e me interessando mais, pois a música que ela fazia eu achava diferente. Escutando outras, decidi ter minha carreira”, relata a jovem.

O início da carreira foi de shows em festas realizadas em bairros de Cariacica e Vitória, com funks de sucesso da época. Ela também fazia participações em eventos de outros cantores. Assim surgiu a MC Andressa. Mas antes de iniciar de fato a carreira, uma grande mudança aconteceu na vida dela.


Andressa com a filha Rebecca, em registro mais antigo. (FOTO: Arquivo pessoal)
Amadurecimento
De um relacionamento conturbado, nasceu em março de 2014, a filha Rebecca, hoje com quatro anos. Mas ao contrário do que muitos poderiam pensar, o nascimento da filha não dificultou Andressa nos objetivos. “Minha filha nunca me atrapalhou em nada, pelo contrário, depois que ela nasceu eu amadureci muito, pois passei a ter uma responsabilidade. Passei a ser mulher e tinha que lutar por alguém. Me deu mais vontade ainda de correr atrás dos meus objetivos para poder dar uma vida melhor para ela. Ela me ajudou a evoluir como ser humano e ser uma pessoa melhor”.

Carreira
Andressa afirma ter tido ajuda e incentivo de amigos e da família desde o início da carreira. Após conhecer um produtor, o Adriano Costa, ela produziu e lançou a primeira música, Pressão, em julho de 2014, que hoje conta com mais 15 mil visualizações. Um ano depois foi a vez de Então Vem ganhar a internet e hoje ter mais de 17 mil visualizações. “Minha carreira teve início com apoio de amigos que sabiam que eu cantava. Conheci o produtor Adriano Costa, que produziu as músicas. Até hoje, nada que fiz foi sozinha. Primeiramente tive ajuda de Deus e de minha família. Amigos, a exemplo do Adriano, e, mais recentemente, o DJ Douglas Cardoso, me ajudam muito. Espero chegar no auge para poder retribuir todo esse carinho. A gente vai correndo atrás, até que uma hora chega”, almeja a cantora.

Conciliar trabalhos
A jovem nunca conseguiu viver apenas com o trabalho musical. Desde a adolescência foram diversas funções exercidas para ter uma vida mais estável e principalmente dar uma boa criação a Rebecca. “Trabalho por necessidade. Preciso ter minhas coisas e música ainda é um hobby. É uma coisa que gosto de fazer, mas é difícil ir no estúdio, tirar R$ 1000,00 do salário para gravar uma música. E ainda mais para fazer um clipe. Tenho uma filha e não vou tirar o leite dela para gravar uma música”.

Segurança, faxineira, panfletando em sinais e atendente de padaria são algumas das atividades já exercidas por Andressa. Mas um ela garante ser inusitado. “O trabalho mais diferente que tive foi vender picolé e água mineral na praia com minha caixinha escrito ‘MC Andressa’. Muitas pessoas só compravam após eu cantar. Às vezes, formavam até uma rodinha. Saia de tule rosa e detalhes de unicórnio, as crianças adoravam e tiravam fotos comigo”.

Andressa foi fotografada ao lado de Anitta em festival na Serra, após vencer concurso de programa de TV. (FOTO: Arquivo pessoal)
A praça
Vamos lá... A pequena praça de Nova Carapina I não foi cenário apenas para a entrevista. Vídeos de paródias e covers produzidos por MC Andressa foram gravados na praça. Exemplo é o da música Paradinha, que levou a cantora a vencer um concurso que teria como prêmio um dos sonhos: conhecer e estar junto a Anitta, o que aconteceu em outubro de 2017. Meses antes, em abril, alguns desses vídeos levaram Andressa a participar de um quadro no programa Raul Gil em oportunidade única. Ainda na adolescência, a estreia da jovem na praça não foi das melhores, como ela lembrou. Na saída da escola, acabou se envolvendo num feio confronto com outra estudante.

         

Comentários

Mais lidas

TEMPO REAL: 'Equilibrium 8 Anos'

Destaques OMMC #31

Destaque da cena musical capixaba, Solveris comanda show na SubTrópico

Auri e Zé Maholics mostram a força da cena autoral capixaba em Vitória