Pular para o conteúdo principal

Destaques #107: Empoderamento e empolgação no Marien Calixte Jazz Music Festival

Celebração à cultura
Com mais de dez horas de música, a 3ª edição do Marien Calixte Jazz Music Festival foi uma verdadeira celebração à cultura. O Parque Cultural Casa do Governador, em Vila Velha, abrigou a terceira edição do maior evento de música instrumental do Estado.


Na foto: Daniel Morelo, Virginia Casagrande, Hamilton de Holanda, Renato Casagrande, Fabricio Noronha, Karla Freitas e Simone Marçal.

Na abertura, no sábado, o uruguaio Pablo Vares levou músicas do seu primeiro álbum solo, Inexorable. “É uma grande responsabilidade e uma grande honra abrir esse festival”, disse ele em sua apresentação.

Na sequência, o palco foi inundado com a mistura de jazz e MPB do Alexandre Borges Quinteto e rolou muita improvisação.

O vencedor do 1º Prêmio da Música Capixaba de Melhor Instrumentista, Pedro de Alcântara convidou o acordeonista Bebê Kramer para uma encontro musical luxuoso e lançamento do trabalho No Mesmo Barco e, vinda do ABC paulista, a Nômade Orquestra encerrou o dia com um som poderoso e dinâmico.

Mulheres pretas poderosas abriram o domingo do festival: o Quarteto Zuri levou mensagens de empoderamento da mulher negra no Dia da Consciência Negra e encantou com sua abordagem a clássicos e atualidades da música popular brasileira.

A Wanderson Lopez Ensemble, além de composições inéditas e autorais de Wanderson, como Estrela, Pedra viva e Flor Atlântica, fez uma homenagem ao grande Tom Jobim. A homenagem do trombonista Joabe Reis foi à cidade de Cachoeiro de Itapemirim, sua terra natal.

E o encerramento da 3ª edição do Marien Calixte Jazz Music Festival foi apoteótica: o gênio Hamilton de Holanda literalmente foi para a galera e tocou no meio do público, que aplaudia antes mesmo do final das canções.

Vencedor do Grammy Latino de Melhor Álbum Instrumental do ano, Holanda tocou músicas de Maxixe Samba Groove, além de pérolas da MPB como Maria, Maria, uma homenagem ao grande Milton Nascimento, o Bituca.

A Malê Dixieland fez um cortejo para acompanhar o público até a portaria do Parque no final da noite e escolheu a emblemática When the Saints go Marching in para o encerramento do festival.

Adiado
Devido às fortes chuvas, a quarta edição da Feira do Vinil, que ocorreria neste fim de semana, foi adiada para os dias 3 e 4 de dezembro, das 13 às 17 horas. Organizado pelos Amigos do Vinil, com apoio da Prefeitura de Vila Velha, o evento conta com a discotecagem e mais de mil discos à disposição para venda. 

Para os apaixonados em garimpar, comprar e trocar LPs, estarão disponíveis discos de todos os gêneros, com destaque para coleções e raridades de Pop, Rock, Blues, Jazz e MPB, entre outras.

Data marcada
A organização do Festival de Alegre, após anunciar o retorno do evento para 2023, confirmou nas redes sociais o mesmo para os dias 8, 9 e 10 de junho do próximo ano.

Comentários

Mais lidas

Grandes atrações musicais nas festas do município de Fundão

Professor capixaba de dança lança videodança online

Em primeiro single após “rebatismo”, Thiago Maré lança “Marés” no dia do seu aniversário